quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Pode Balançar Que Tem Mais Para Cair.

Estivessemos nós vivendo em um país minimamente sério e a resultado dos fatos visualizados  por todos nós envolvendo a ação da "Gestapo" paulista contra uma Escrivã de Polícia esta semana, seria muito mais profundo e abrangente.
Temos que analisar que a data de todo aquele abuso se deu em 2009, e que por motivos desconhecidos mas plenamente supostos só agora veio à tona, e as cenas não devem em nada para a ação dos países de ditaduras mais cruéis, onde certamente seriam tratados por suas autoridades praticamente da mesma forma como o PSDB tenta tratar o caso.
Mas voltando aos fatos que se deram na sequência da divulgação do vídeo, em um primeiro momento o governador "Picolé de Chuchu" tentou, como sempre age, se fingir de morto na esperança de que o caso não ganhasse a repercussão que acabou ganhando, o nobre secretário se segurança manteve-se impassível como que aguardando o passar do furacão, a nossa corregedora indiferente à tudo que podia ser visto pelas gravações saíra em defesa dos algozes da Escrivã. Ocorre que, diferentemente do pretendido por tais autoridades o caso acabou por ganhar proporções de escândalo.
Não restando muito mais o que fazer, já que a primeira estratégia não alcançara o resultado esperado, passou-se ao plano "B", e nada mais óbvio que os primeiros a serem responsabilizados fossem àqueles arremedos de gente, travestidos de autoridades policiais e que de forma "máscula" vilipendiaram a Escrivã de Polícia, ocorre que ainda assim os ânimos continuaram acirrados, sendo necessário que mais alguém acabasse por ser responsabilizado pelo ocorrido, eis então que, finalmente cai a senhora corregedora, e dentro da expectativa do governo serão aguardadas as repercussões sobre o afastamento da Delegada de Polícia para só ai decidir dar continuidade ou não as punições e afastamentos.
Por isso, quero que todos imaginem o que não teria ocorrido se o Brasil tratasse as coisas com o mínimo de seriedade, pois é certo que num país de verdade os fantoches corregedores que participaram de toda a ação seriam afastados e presos, de forma imediata e sumária, em virtude dos inúmeros crimes praticados naquele instante, os seus superiores imediatos seriam também afastados e teriam a sua conduta investigada para se averiguar se deram a ordem para a prática criminosa, a Delegada Diretora da casa censora seria ao menos imediatamente afastada, o Secretário de Segurança tendo conhecimento de toda a ocorrência também não resistiria no cargo, e por fim, o Governador seria investigado por uma CPI, para se verificar se o mesmo seria conivente neste caso de abuso dos direitos mais elementares de qualquer ser humano, e em caso positivo sofreria um processo de afastamento.
Mas isto se houvesse alguma seriedade neste nosso país, e já que não é esta a nossa realidade só temos que comemorar o afastamento de todos até aqui, mas com a certeza de que se balançar cai mais, ah! se cai.

2 comentários:

EDISON disse...

O que fico imaginando neste momento é quantos outros abusos e arbitrariedades podem ter sido cometidos pelas "otoridades" daquele òrgão corregedor que até o presente momento não vieram à tona...

NELSON disse...

Na verdade, a sociedade pouco se importa com o que acontece com o funcionário público, incluindo aí o policial civil. Como em geral o atendimento da polícia é de ruim a péssimo, ninguém tá nem aí."Joga pedra na Geni".